PROJETO DE LEI - LEGISLATIVO nº 30 de 2018

Identificação Básica

Tipo de Matéria Legislativa

PROJETO DE LEI - LEGISLATIVO

Ano

2018

Número

30

Data de Apresentação

24/09/2018

Número do Protocolo

Tipo de Apresentação

Numeração

    Outras Informações

    Apelido

    Dias Prazo

    Matéria Polêmica?

    Objeto

    Regime Tramitação

    Ordinária

    Em Tramitação?

    Sim

    Data Fim Prazo

    Data de Publicação

    É Complementar?

    Origem Externa

    Tipo

    Número

    Ano

    Local de Origem

    Data

    Dados Textuais

    Ementa

    PROJETO DE LEI Nº 030/2018


    DISPÕE SOBRE A DENOMINAÇÃO DE RUAS NO LOTEAMENTO PARQUE RESIDENCIAL REAL VILLE.


    O Prefeito Municipal de Tijucas, Estado de Santa Catarina, faz saber a todos os habitantes deste Município, que a Câmara Municipal de Tijucas aprovou e ele sanciona a seguinte Lei:


    Art. 1º Ficam denominadas, conforme incisos e mapa anexo, as Ruas do Loteamento Parque Residencial Real Ville, localizado na Rua Nova Trento no bairro Joáia:

    I - Rua “A”: Ayrton Senna
    II - Rua “B”: Maria Esther Bueno
    III - Rua “C”: Maria Lenk


    Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.



    Tijucas, 20 de Setembro de 2018.





    Cláudio Tiago Izidoro
    Vereador





    ANEXO I















    DENOMINAÇÃO DE RUAS, AVENIDAS, PRAÇAS E LOGRADOUROS PÚBLICOS.

    AGRACIADO (A): Ayrton Senna da Silva

    DATA NASC: *21/03/1960 + 01/05/1994 LOCAL: São Paulo

    FILIAÇÃO:

    PAI: Milton da Silva

    MÃE: Neide Senna da Silva


    BIOGRAFIA:

    - Ayrton Senna da Silva, ou simplesmente Senna, foi um piloto de Formula 1 das décadas de 80 e 90 e maior ídolo brasileiro do automobilismo. Nasceu em São Paulo, no dia 21 de março de 1960, e morreu de maneira trágica em 1º de maio de 1994, após colidir com uma mureta de proteção no Grande Prêmio de San Marino, em Ímola. Seu velório foi um dos mais marcantes da história do Brasil, durou cerca de 22 horas e foi acompanhado por aproximadamente 240 mil pessoas.
    - A carreira de Senna no automobilismo começou como a da maioria dos pilotos: no kart. Aos 14 anos, conquistou seu primeiro título, o Paulista de Kart de 1974, conquista que se repetiu em 1976. No kart, também foi campeão brasileiro em 1978, 1979 e 1980 e sul-americano em 1977 e 1980. No início da década de 80, mudou-se para a Europa para competir na Fórmula Ford, tornando-se bicampeão (1981 e 1982) e conquistando o título em 1983 na Fórmula 3 Britânica.
    - Os feitos de Ayrton guiando monopostos chamou atenção das equipes de Fórmula 1 e, em 1983, ele foi convidado para testar o carro da equipe Williams, uma das maiores da categoria. Senna bateu o recorde do carro na pista de Donington Park e deixou todos “perplexos”, palavras de Frank Williams, chefe da equipe na época. Por triste coincidência, Senna morreria guiando uma Williams 11 anos depois.
    - Senna estreou na Fórmula 1 em 1984, guiando uma Toleman. Mesmo em uma equipe de pequena para média, terminou o seu primeiro campeonato na nona colocação, com um segundo lugar no tradicional GP de Mônaco. Nos três anos seguintes, competiu pela Lotus, uma equipe maior, conquistando a quarta colocação em 1985 e 1986 e a terceira em 1987. Pela Lotus, conseguiu seis vitórias, a sua primeira no GP de Portugal de 1985.
    - A fase áurea de Senna começou quando ele se transferiu para a equipe McLaren (1988 a 1993), a melhor da época. No carro vermelho e branco, ele conquistou três campeonatos (1988, 1990 e 1991) e 35 vitórias. Nos seus dois primeiros anos no novo time, foi companheiro de equipe do francês Alain Prost, considerado seu maior rival na F1. A rivalidade entre Senna e Prost fez aumentar a audiência da categoria e muitos brasileiros acordavam cedo no domingo para acompanhar o já ídolo do esporte.
    - Em 1991, tornou-se o mais jovem tricampeão da Fórmula 1, aos 31 anos.
    - Sua carreira inclui 161 corridas, com 65 poles, 19 voltas mais rápidas e 41 vitórias.

    ATIVIDADES SOCIAIS, POLÍTICAS, COMUNITÁRIAS, RELIGIOSAS E OUTRAS:

    - Em vida, Ayrton ajudou inúmeras vezes programas de assistência a carentes, principalmente os ligados a crianças. A única condição para isso era: total sigilo. Se a imprensa descobrisse, ele negaria. Até mesmo a família e amigos mais próximos não tinham conhecimento da maioria de suas doações. Ayrton não desejava que seus gestos fossem interpretados apenas como promoção pessoal.
    - Senna demonstrava publicamente preocupação com a pobreza generalizada no Brasil, especialmente em relação aos mais jovens. Em março de 1994 doou 45 mil dólares para um programa de assistência a crianças, filhos de seringueiros do Acre – "Saúde sem limites".
    - Ele doava largas somas para a creche do "Espaço Santa Terezinha", direcionada as crianças pobres. Julian Jakobi, empresário de Ayrton, confirmou que o piloto costumava ligar de algum lugar do planeta para pedir que ele fizesse doações a instituições ou pessoas. Certa vez, no início da década de 1990, durante os conflitos na Bósnia, Senna ajudou crianças vítimas da guerra.
    - Após sua morte, foi descoberto que ele havia doado em segredo uma porção muito grande de sua fortuna pessoal (estimada em cerca de US$ 400 milhões) para ajudar crianças pobres.
    - Foi ele mesmo quem idealizou as marcas Senna e o personagem Senninha.
    - Mais do que tudo, Ayrton Senna tinha orgulho de ser brasileiro e queria fazer mais pelo país. Sempre teve em mente que um futuro melhor passava pela educação, pensamento que é a semente para o Instituto Ayrton Senna, que atende a milhares de crianças e jovens em todo o Brasil.

    MOTIVOS DA HOMENAGEM:
    Senna: herói nacional
    - As vitórias e ações de Senna o fizeram se tornar um herói nacional. No final da década de 80, o Brasil havia recém-saído da ditadura e passava por um momento econômico difícil. A renda per capita declinou e o percentual de brasileiros na linha da pobreza havia aumentado. O brasileiro não tinha muito do que se orgulhar, mas Senna fazia questão de afirmar sua nacionalidade e desfilava com a bandeira nacional em suas vitórias. Esses gestos e a exploração da imagem de Senna pela TV contribuíram para a construção de um arquétipo de herói nacional.

    INFORMAÇÕES FORNECIDAS POR:
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Ayrton_Senna





































    DENOMINAÇÃO DE RUAS, AVENIDAS, PRAÇAS E LOGRADOUROS PÚBLICOS.

    AGRACIADO (A): Maria Esther Andion Bueno

    DATA NASC: *11/10/1939 + 08/06/2018 LOCAL: São Paulo

    BIOGRAFIA:

    - Maria Esther Andion Bueno, conhecida no exterior como Maria Bueno, foi uma tenista brasileira, que atuou nas décadas de 1950, 1960 e 1970, sendo uma das raras tenistas a conquistar títulos em três décadas diferentes. Segundo o jornalista esportivo José Nilton Dalcim: “Maria Esther Bueno é a maior atleta feminina brasileira de todos os tempos. Seus feitos são incríveis e seu reconhecimento internacional, imenso. Sem falar que foi um exemplo de como superar dificuldades para obter sucesso”.
    - Dona de 19 títulos de Grand Slams, os quatro torneios de maior prestígio no circuito mundial do tênis, Maria Esther Bueno tinha o respeito de todos em Londres, Paris, Melbourne e Nova York. A paulista é considerada a maior tenista brasileira de todos os tempos, tendo alcançado o posto de número 1 do mundo em quatro temporadas (1959, 1960, 1964 e 1966). Ela conquistou o seu 1º título de Grand Slam em Wimbledon, em 1959, aos 19 anos. Em 1960, ganhou os quatro Grand Slams de duplas ao vencer na Austrália, com Christine Truman, e em Wimbledon, Roland Garros e no US Open, todos em parceria com Darlene Hard. No total, ganhou 589 títulos ao longo de sua carreira. Ela entrou para o hall da fama em 1978.

    ATIVIDADES SOCIAIS, POLÍTICAS, COMUNITÁRIAS, RELIGIOSAS E OUTRAS:

    - A ex-tenista foi garota-propaganda de um dos patrocinadores da Olimpíada do Rio e conduziu a chama olímpica no revezamento da tocha em julho de 2016. Também participou da cerimônia de encerramento do megaevento, onde carregou a bandeira brasileira antes da execução do hino nacional.

    MOTIVOS DA HOMENAGEM:

    - Vencedora de sete torneios de Forest Hills, sete vezes campeã em Wimbledon, mais de 570 títulos conquistados. Ainda como campeã mundial, foi recebida como heroína, cumprimentada pelo presidente Juscelino Kubitschek e ovacionada pelo público em desfile em carro aberto. Com essas respeitáveis credenciais, a tenista Maria Esther Bueno foi considerada, em 2000, a maior tenista das Américas de todo o século 20.
    - A verdade, no entanto, é que a maior jogadora do país em todos os tempos foi além: quebrou paradigmas, brilhou em um esporte em que o Brasil tinha pouca representatividade, ganhou notoriedade no círculo mais restrito do esporte e deixou um legado indelével. Sua vida poderia ganhar muitos outros adjetivos. Maria Esther Bueno foi uma vencedora, única e formidável. Lendária. A ex-tenista, é um dos grandes nomes da história do esporte brasileiro.

    INFORMAÇÕES FORNECIDAS POR:
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Esther_Bueno
    https://educacao.uol.com.br/biografias/maria-ester-bueno.htm?cmpid=copiaecola



































    DENOMINAÇÃO DE RUAS, AVENIDAS, PRAÇAS E LOGRADOUROS PÚBLICOS.

    AGRACIADO (A): Maria Emma Hulga Lenk Zigler

    DATA NASC: *15/01/1915 + 16/04/2007 LOCAL: São Paulo

    FILIAÇÃO:

    PAI: Paul Lenk

    MÃE: Rosa Lenk

    BIOGRAFIA:

    - Maria Emma Hulga Lenk Zigler, foi a principal nadadora brasileira, tendo sido a única mulher do país a ser introduzida no Swimming Hall of Fame, em Fort Lauderdale, Flórida.
    - Filha de imigrantes alemães que vieram ao Brasil em 1912. Com apenas 17 anos, Maria Lenk foi a primeira atleta do Brasil a disputar uma Olimpíada. Depois foi pioneira no nado borboleta, venceu provas, quebrou recordes mundiais, lutou pela Educação Física e pelos direitos das mulheres.
    - Maria Lenk foi a primeira nadadora brasileira a estabelecer um recorde mundial e deu ao Flamengo diversos importantes títulos. Ela foi uma precursora. Sua vida como atleta serve de base para toda a história do esporte olímpico feminino brasileiro. Das 76 medalhas olímpicas do Brasil, as mulheres têm 10 e foi Maria Lenk quem abriu este caminho para o esporte brasileiro ao ser a primeira brasileira a ir a uma Olimpíada, a de Los Angeles em 1932.
    - Ela entrou para o Hall da Fama da Federação Internacional de Natação (Fina) em 1988. No mesmo ano foi homenageada com o Top Ten da Fina, por ser uma das dez melhores atletas Masters (masculino e feminino) de natação no mundo.
    - Em 2004, Maria Lenk recebeu o Troféu Adhemar Ferreira da Silva na cerimônia de entrega do Prêmio Brasil Olímpico, destinado aos melhores atletas do ano.
    - No dia 12/02/2007 ela foi homenageada pelo prefeito do Rio de Janeiro, César Maia, que deu seu nome para o Parque Aquático que estava sendo construído no autódromo do Rio de Janeiro para receber as provas de natação, nado sincronizado e saltos ornamentais nos Jogos Pan-Americanos.

    ATIVIDADES SOCIAIS, POLÍTICAS, COMUNITÁRIAS, RELIGIOSAS E OUTRAS:

    - Em 1942, abandona a carreira e ajuda a fundar a Escola Nacional de Educação Física, da Universidade do Brasil, no Rio de Janeiro. Depois da aposentadoria, Maria Lenk retorna gloriosamente à raia das piscinas para competir na categoria Master.
    - Até hoje, Maria Lenk tem admiração e respeito de toda a comunidade aquática, inclusive por aqueles que não a conheceram pessoalmente ou nem a viram dar suas braçadas em alguma piscina deste mundo. Quando se fala em natação aqui no Brasil, seu nome logo vem a mente graças a sua carreira exemplar e pioneira dentro da piscina e aos legados deixados para futuras gerações. Tudo isso faz de Maria Lenk uma personagem de suma importância para o esporte olímpico brasileiro. Uma mulher forte que não deixou de nadar até o último dia de sua vida.

    MOTIVOS DA HOMENAGEM:

    - No início da década de 30, Maria Lenk se destacou num campeonato interestadual e foi convidada para participar dos Jogos de Los Angeles. A delegação tinha 82 atletas e ela era a caçula, com 17 anos e a única atleta feminina. Ela viajou sem os pais, numa época em que a presença feminina em Olimpíadas ainda era interpretada como ameaça aos valores morais.
    - No início dos anos 40, foi a única mulher da delegação de nadadores sul-americanos que excursionou pelos Estados Unidos; Maria Lenk quebrou doze recordes norte-americanos e aproveitou sua estadia para concluir o curso de educação física na Universidade de Illinois em Springfield.


    INFORMAÇÕES FORNECIDAS POR:
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Lenk
    Fonte: Conselho Federal de Educação Física Indicação: Miguel Sampaio
    https://swimchannel.blogosfera.uol.com.br/2015/01/15/maria-lenk-100-anos

    Indexação

    Observação

    Data Votação: 25 de Outubro de 2018